Consultor jurídico da ActionPRO revela planos de expansão da empresa

O consultor jurídico da ActionPRO Igor Fernandes concedeu entrevista ao canal português Smarkdown na noite de ontem (25). Na conversa com os integrantes da mesa de discussão, ele contou detalhes sobre qual o pensamento da empresa em uma possível expansão pelo Brasil.

“Nós temos um plano de doze meses com metas mensais e trimestrais. Algumas já foram até batidas. Obviamente temos a pretensão de, no futuro, fazer shows pelo Brasil inteiro, respeitando nossos parceiros e contando com eles para fazermos juntos. Entretanto, queremos nos expandir de maneira organizada e estruturada para termos um chão, porque se a gente for com muita sede ao pote, a gente acaba sem nada. Pretendemos nos expandir para o Brasil inteiro no passo da realidade”, salientou Igor.

A ActionPRO anunciou no último sábado que tem parcerias com equipes de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Rony Kidd, na ocasião, confirmou a participação da empresa no “Juntos Somos Fortes” de FILL, que acontecerá no meio deste ano.

Igor comentou sobre a importância de manter uma boa relação com os parceiros e com aqueles que não estão diretamente envolvidos no projeto.

“Trabalhamos com a filosofia de parceiros. Não queremos concorrentes ou inimigos. Queremos no máximo ter concorrentes amigos. É dessa forma que nós pretendemos revolucionar o cenário”, disse Igor.

O consultor ainda comentou mais especificamente sobre suas atividades dentro da empresa e a importância de tratar o Pro Wrestling como um negócio a ser gerido. 

“A ActionPRO quer essencialmente trazer o profissionalismo para a Luta Livre. Nós estamos tentando trazer o business para o show. O cenário brasileiro é muito voltado para o espetáculo, para toda a ideia de um show, mas ele não traz um lado profissional e uma segurança jurídica. Nosso ponto mais forte é tentar fazer essa profissionalização, otimizar as nossas produções diariamente e investir eventuais lucros para aumentar nosso alcance”, explicou Igor.

A conversa também tratou de detalhes sobre a formação da empresa, as dificuldades de acesso em alguns territórios e o uso do background da equipe diretiva para o benefício do Wrestling. A entrevista completa pode ser conferida clicando aqui.